Sylvari

“O mal ameaça Tyria, mas nossos sonhos iram nos guiar através das trevas… até a luz.”

Os sylvari são um enigma. Humanóides em forma, de natureza vegetal, eles são recém-chegados em Tyria e andaram pelo mundo por apenas vinte e cinco anos. Todos eles tem uma mesma origem parternal – a imponente Pale Tree (arvore pálida) que domina toda a Tarnished Coast. Todos são unidos por uma origem em comum e um sonho compartilhado. Ninguém sabe por que eles apareceram de repente em Tyria, nem mesmo  os próprios sylvari, e eles procuram descobrir seu propósito no mundo. De todas as raças, eles são os que mais valorizam o perigo representado pelos Elder Dragons, os sylvari batalham os servos mortos vivos de Zhaitan em uma base regular.

Esta é sua história.

Historia

“Houve um tempo em que eu amaldiçoava este mundo por tirar de mim tudo o que eu já tive. Mas vivendo aqui eu comecei a perceber que estas memorias, mesmo sendo tão dolorosas, são as sementes de nossa identidade. Elas modelam nosso crescimento.”

                                                                                                          ~Ronan, Humano, ex-membro da Shining Blade.

A história dos sylvari começa com um humano e um centauro. O humano era Ronan, um guerreiro membro da Shining Blade. Separado de sua patrulha, ele encontrou uma caverna cheia de estranhas sementes guardadas por uma poderosa criatura planta. Ele pegou uma destas sementes e a levou para sua casa para sua família, apenas para descobrir que sua vila inteira fora destruída pelo White Mantle e seus poderosos “deuses”, os Mursaat. Angustiado, ele plantou as sementes no túmulo de sua família e prometeu nunca mais tocar em sua espada novamente.

Ronan juntou-se a Ventari, um velho centauro cansado do conflito que nunca cessava. Juntos eles criaram uma pequena comunidade, um refugio para aqueles que buscavam paz em um mundo violento. A árvore que cresceu da estranha semente tornou-se grande e orgulhosa, e embaixo de seus galhos, homem e centauro viveram em paz. Ronan foi morto pelo tempo, e o velho Ventari se foi também. Mas antes de deixar sua vida, o centauro gravou suas lições em um bloco de mármore e o deixou nas raízes da Pale Tree. Então ele se foi também, o mais velho e sábio de todos os centauros.

A arvore cresceu e espalhou sua sombra pela região em seu torno, e depois de algum tempo, ela produziu um fruto. E no coração deste fruto estava o primeiro sylvari. E enquanto eles estavam ainda presos na Pale Tree, ela cantou para eles e os contou o que ela sabia sobre o mundo. A Pale Tree os deu um sonho que todos os sylvari iriam compartilhar; um sonho sobre as vidas humanas e a sabedoria do centauro. Quando estes primeiros sylvari emergiram como os firtborns (os primeiros a nascer), eles sabiam algumas coisas do mundo e ansiavam para conhecer mais.

 

Os sylvari parecem humanos a primeira vista, mas esta comparação é interrompida quase imediatamente. Sua carne é feita de vinhas e folhas, seus cabelos pétalas e folhagens, e seus ossos da mais resistente madeira. Seiva dourada corre por suas veias, e pólen sai de sua carne. Eles “nascem” (deviam dizer “acordam”) como adultos, com algum conhecimento do mundo a sua volta. Os sylvari possuem um senso inerte de nobreza, curiosidade e uma necessidade de explorar.

E enquanto cada sylvari explora e aprende sobre o mundo, este conhecimento é levado a Pale Tree que canta a informação a nova geração.

The Groove (A Gruta)

A Pale Tree agora domina a Tarnished Coast, o topo sua copa é muito maior do que muitas montanhas. Na proteção de suas luxuosas folhas, os sylvari fazem suas casas. The Groove, criada pela Pale Tree, é uma cidade orgânica verde e com muitos andares. As raízes e os galhos formam grandes terraços em que outras plantas cresceram e se tornaram casas e edifícios. Alguns sylvari viveram toda sua vida junto a árvore, mas muitos escolhem vagar, se aventurar, e deixar seu Sonho guiar seu caminho.

Os sylari são divididos em ciclos, e ao que parece sua personalidade é determinada pela hora do dia a qual eles acordam. O sylvari que acorda no Cycle of Dawn (ciclo da tarde) tende a ser falante e diplomata. Aqueles do Cycle of Day (ciclo do dia) são resolvedores de problemas, enfrentando problemas de cabeça erguida. Os sylvari do Cycle of Dusk (ciclo do anoitecer) tornam-se inteligentes e reflexivos. E aqueles do Cylce of Night (ciclo da noite) são quietos, secretos, e mantém seus próprios conselhos.

Os firstborn são a coisa mais próxima que os sylvari possuem como lideres, porém o respeito de seus comandos vem apenas de seu conhecimento e do tempo que estão no mundo. Cada ciclo é cuidado por um dos firtborn que serve como um erudito, como um guia e tutor, para os recém-despertados.  Porém cada o maior dominante deste povo é sua mãe, a própria Pale Tree. Sua canção está em todos os sylvari, e aqueles que buscam compreensão viajam até o coração da árvore para se comunicar com ela e buscar conhecimento dela.

Uma sombra no Sonho

Os sylvari são uma raça nova, mesmo assim eles encaram desafios de fora e de dentro. Nem todas as raças os acolheram,  e suas experiências anteriores com os asura próximos mostrou que nem todas as outras pessoas possuem suas virtudes. Mas os perigos maiores vem deles de dentro, tanto na forma de sylvari que rejeitaram o Sonho e na forma de um aviso do próprio Sonho.

Cada sylvari que ainda não despertou ouve a canção da Pale Tree e aprende sobre o mundo, incluindo o que outros sylvari aprenderam. Porém muitos sonhos de um perigo enigmático ameaçam o mundo despertado. Para muitos, é apenas um vislumbre. Apenas alguns poucos, os grandes heróis de sua raça, veem as sombras dos dragões e conhece-os como o perigo que ameaça o mundo. Como resultado, de todas as raças, os sylvari encaram a batalha com os Elder Dragons mais diretamente. A costa de suas terras é próxima do Sea of Sorrows, e os servos de Zhaitan destroem tudo o que veem. Enquanto  outras raças são corrompidas e se tornam servos zumbis ou criaturas cristalizadas, os sylvari nunca são transformados. Estes nacidos da Pale Tree simplesmente morrem antes que sejam corrompidos. Muitos sylvari acreditam que isso ocorre por serem destinados a lutar com os dragões, abençoados com certa proteção contra seus mais horríveis poderes. Alguns sábios não pertencentes a raça diziam que ao contrario que a estranha biologia  dos sylvari impede a corrupção dos dragões. Algumas almas inteligentes afirmam que os sylvari apenas tem gosto ruim para os dragões. Ninguém sabe ao certo qual destas suposições é verdadeira.

A ameaça dos servos do Elder Dragon é apenas uma dentre muitas. A os sylvari que rejeitaram os ensinamentos da pedra de Ventari e dizem que a influencia do centauro deturpou o Sonho. Eles procuram a sombra que existe no Sonho, ao invés do que eles chamam de “falsa moral”, e exploram a parte mais sombria de suas personalidades. Frios, cruéis e sem misericodia, estes sylvari se vem como os “verdadeiros sylvari”, os verdadeiros filhos da árvore, e acreditam que seu propósito é o de outros de sua raça as trevas. Eles são conhecidos como a Nightmare Court (a corte do pesadelo), e a cada ato de crueldade e malevolência, eles adicionam seus pesadelos a árvore e tem esperança que, um dia, mudar o balanço e trazer sua mãe ao seu lado. A líder da NIghtmare Court é uma dos firtsborn: a Duquesa Faolain, antiga companheira querida de Caithe.

Um bravo novo mundo

Os sylvari estão em poucos números comparados com as outras grandes raças, mas muitas entram neste mundo todos os dias. Eles são novos para Tyria, porem por causa do Sonho, eles sabem muito sobre o mundo. Mesmo assim, são curiosos, procurando compreender coisas que eles apenas sonharam. Eles vêem um mundo vivo com potencial e fascinante.

E mesmo que nenhum sylvari tenha morrido de idade, eles já aprenderam sobre a morte. E eles a acham fascinante também.

Videos:

Criando os Sylvari

 

O lar dos Sylvari – The  Groove

 

Screenshots:

EmaildiHITTTumblrFacebookOrkutGoogle GmailGoogle ReaderWordPressShare