Review do Ranger em Guild Wars 2

Fiz um review da profissão que mais joguei durante os betas até agora. Vamos lá:

O Review do Ranger em Guild Wars 2:

Joguei até level 44 com meu Ranger durantes os BWEs e Stress Test e fiz um resumo da Profissão, com seus pontos que me chamaram atenção e podem ser interessantes para quem está decidindo de que irá jogar e se o Ranger é ou não para você.

  • Visão geral

O Ranger é uma classe voltada para a natureza, possui um animal companheiro por vez, o pet, que pode ser trocado por outro dentro de combate ou fora. Essa é sua mecânica diferencial.

Além disso, o Ranger possui Spirits, que são invocações (summons) e traps, de diferente das outras classes (apesar de Thief também possuir trap).

  • Mecânica: o Pet

O companheiro do Ranger, o pet, é o seu diferencial no jogo, sua mecânica. Existe uma diversidade bem grande de pets divididos em famílias, o que faz a classe bem interessante não só pelo fato de ter um NPC (Non Player Character) te ajudando, como os minions dos Necromancers, mas por ter a possibilidade de fazer diversas combinações de estilos de jogo e Builds. Não existe a opção de retirar o pet, e ele é parte essencial de como o Ranger joga, dito inclusive por vários desenvolvedores do jogo.

Cada família de um pet tem um grupo de skills (3) diferenciadas, sendo algumas famílias mais focadas em defesa como os ursos e outras mais focadas em dano a distância, por exemplo, como os Devourers.

Além disso, dentro de cada família, cada pet em específico possui uma skill própria, fechando um total de 4 skills para os pets além das 10 do Ranger. Dessas skills, somente a skill própria da espécie pode ser controlada pelo player, as outras 3 são utilizadas automaticamente pelo animal.

Na barra do Ranger podemos ver 4 botões diferentes que são utilizados para controlar seu companheiro, são eles: Attack, a Skill ativa do pet, agressivo/passivo e trocar de pet.

Nos betas vimos os Pets meio bugados, não respondendo a comandos ou ficando parados, e esperamos que isso seja arrumado para o lançamento. Como Jon Peters, um dos desenvolvedores do jogo, falou em uma entrevista, os pets TEM que estar funcionando em ordem para que o jogo seja lançado.

Tirando esses problemas, o Ranger possui muitas possibilidades devido aos pets. Os pets não são somente um + no dano ou um tank com na maioria dos MMOs, eles podem ajudar a sobreviver (muito se usado corretamente), podem tirar danos massivos e até tirar mais dano que o próprio Ranger se estiver com as traits corretas.

Muitas pessoas reclamaram que os pets morrem muito rapidamente se não forem da família de ursos, porém Jon mesmo apontou que os pets no Guild Wars 2 são diferentes, não são feitos para levar dano por você, fazem parte da mecânica do personagem e devem ser usados corretamente, você deve saber qual o foco de cada família de animal e em que situação utilizar eles.

Mas não é tão simples assim também. O fato de existir uma mecânica na profissão que não faz parte de um só personagem, torna o Ranger (junto ao Mesmer e Necromancer, porém o deles é mais opcional) uma das classes onde é necessário o maior micromanagement de Guild Wars 2. O fato de ter que cuidar além de si mesmo do pet complica para muitas pessoas a profissão. Em combate você tem que prestar atenção de uma forma um pouco diferente, olhando sempre para você (skills, dano, movimento), o inimigo (skills que está usando, movimento, dano) e o pet (movimento, dano, HP).

Isso torna a profissão um pouco mais complicada para quem não consegue prestar atenção em várias coisas ou controlar de forma efetiva o pet, utilizando o agressive/passive para escapar de AoEs, utilizando a skill do pet no momento apropriado, perdendo uma oportunidade, e assim por diante.

Existem aqueles Rangers que ignoram o pet, acostumados a outros MMOs, porém isso não é o ideal. Visto que todas classes podem utilizar alguma arma a distância, talvez seja o caso de considerar outra classe, como o Warrior que pode usar Rifle e Longbow sem tirar menos dano que o Ranger.

Mas fazendo bom uso do seu animal, o Ranger é uma classe muito poderosa, podendo, por exemplo, deixar o pet atacando um inimigo enquanto se foca em outro, sendo interessante em PVP dando uma pressão em dois inimigos. Além disso, ele tem alguns pets bem legais (quem não quer ter um tubarão em baixo d’água).

  • Utility Skills, Traps e Spirits

O Ranger possui várias skills dependendo do seu estilo de jogo, podendo fazer um bom papel de suporte e melee além de DPS se for o caso. Tem signets para recuperar HP, aumentar defesa, andar mais rápido e remover conditions, além de algumas skills para sobreviver e aumentar dano, como Lighning Reflexes e Sharpening Stone.

Outros diferenciais do Ranger são as Traps e os Spirits.

As traps são muito mais úteis que eu achei que fossem particularmente. Em outros jogos raramente usamos traps, até porque elas tem um setup time gigantesco, dando impressão de atrasar o jogo, mas no Guild Wars 2, pelo combate ser muito mais movimentado existe uma grande chance de que o inimigo pise na trap e você pode fazer grande aproveitamento e elas não demoram. Elas tem efeitos diferentes, uma dando poison, outra cripple e bleed, outra chill e outra burn. É interessante colocar várias ou fazer combinações com outros Rangers e ver o inimigo morrer rapidamente sem ter muitas chances.

Os Spirits são um pouco diferentes do que temos de skills em outras profissões. Quando invocado não ataca, mas ele dá 20% de chance de que um ataque de um aliado que esteja em sua área de alcance ganhe algum efeito positivo dependendo do espírito além de ter uma skills ativa como uma signet. Os efeitos podem ser Swiftness, Protection, aumentar o dano ou causar burn. Skills bem interessantes para serem usadas em grupo, mas também úteis quando jogando sozinho.

As elites da profissão tem o foco em dano, ou suporte, ou CC (crowd control).

  • Combate, Armas

O combate da profissão é muito interessante, apesar de eu concordar com muita gente que as animações e efeitos são meios sem graça perto de outras classes. Com certeza Ranger é uma das profissões com mais mobilidade no jogo, o que torna ela muito divertida de jogar e extremamente interessante em todo jogo, PvP, WvW e PvE

Com uma Sword equipada, o Ranger consegue sair de combate (sair mesmo, um pulo bem grande) e voltar com a mesma skill bem rapidamente, atacar o inimigo por trás, evitar golpes sem necessariamente usar dodge, além de ter uma animação muito legal. Com a Greatsword, ele consegue cobrir longas distâncias em alguns pulos com Swoop, sendo uma das skills que percorre a maior distância do jogo, além de bloquear um ataque e contra-atacar e tirar danos mais altos. Com Torch faz combo fields de fogo e tira danos grandes com burn. Warhorn é uma arma essencial para cobrir longas distâncias correndo e dar suporte para outros personagens, além disso, tira um dano bom com sua skill de ataque. Axe é uma das armas mais importantes para conditions e dano em área de Ranger, possibilitando dar vários stacks de bleed no inimigo, chill, e refletir ataques quando em offhand. Dagger vi sendo uma arma subestimada, podendo dar poison e cripple, sendo extremamente interessante em algumas situações, como PvP. Shortbow é outra arma importante para as conditions, dando bleed, poison, cripple, daze e swiftness e apesar de ter um dano um pouco mais baixo que Longbow, atira mais rapidamente, sendo mais útil em algumas situações. E por fim o Longbow, que é uma arma clássica para Rangers, com um alcance maior que o Shorbow, tirando bastante dano, tendo knock back, e causando dano e cripple em área.

  • Traits

Algumas aumentam o foco em seu pet, deixando ele ainda mais forte, outras ficam na linha de críticos, condition e dano. Os spirits pode ficar mais úteis se movendo e tendo mais HP. Não vou entrar muito no mérito porque no BWE3 algumas coisas serão modificadas segundo Jon Peters.

  • O que achei:

Tirando os bugs de IA que afetaram Rangers, Mesmers e Necromancers, o Ranger é uma profissão que gostei muito, me surpreendi com sua mobilidade em combate e gostei de como a profissão é jogada. Vou continuar com minha escolha para o lançamento.

Quando comecei a jogar MMOs não gostava muito da ideia de ter um pet, depender de um NPC para tirar mais dano, mas jogando Guild Wars 1 e  fazendo builds com pets para tirar mais me encorajou a utilizar e gostar desse tipo de estilo de jogo. Os pets são essenciais para o Ranger. Obviamente é possível fazer tudo sem prestar atenção neles, mas você estará perdendo parte da diversão da profissão.

O Ranger exigirá um pouco mais de atenção para micromanegement que algumas outras profissões para extrair seu potencial total, mas é só uma questão de costume, cada profissão tem seu diferencial, suas dificuldades.

Única coisa que espero uma melhora relativamente maior para o último BWE/lançamento são as skills de downed state. O Ranger fica extremamente indefeso e geralmente não pode fazer nada para ressuscitar antes de morrer porque o pet acaba não sendo efetivo nesse estado e suas skills downed são voltadas para ele.

Para diversão de alguns: aconselho quem é Ranger a no próximo beta brincar com algumas builds e ver qual se encaixa melhor com seu perfil e com a situação, trocando inclusive os pets.

Algumas ideias:

Utilizar um combo de de burst no PvP – ativar Quickening Zephyr + Rapid Fire (utility) junto.

Um combo de condition – Sharpening Stone + Sharpening Edges (trait) + Split Blade (Axe) e colocar 15 stacks de bleed facilmente.

Focar no pet – colocar todos pontos de trait no pet. Com um pet de ataque o dano fica muito alto, os inimigos raramente focam no pet em PvP e acabam se surpreendendo

Nosso canal do Youtube tem vários vídeos meus de Ranger, meu canal de stream também.

Caso queira informações mais detalhadas, pode ver na página da profissão e na wiki oficial tem várias coisas: http://wiki.guildwars2.com/wiki/Ranger

EmaildiHITTTumblrFacebookOrkutGoogle GmailGoogle ReaderWordPressShare